Dos livros


Adoro ler! Adoro!
É umas das minhas grandes paixões.
Não, não fui sempre assim.
Em criança, lembro-me de ler os contos infantis que me eram dados em colecções no Natal, lembro-me das "Mil e uma noites", lembro-me de ler a colecção "Viagens no Tempo" da Ana Magalhães e da Isabel Alçada (gostava mais desta colecção do que da "Uma Aventura...").

Depois entrei na idade (parva) da adolescência e esqueci o gosto que tinha de ler. Não sei o que se passou. Não sei se foi a escola, se a imposição de ler certas obras. O que aconteceu é que estive muitos anos sem ler pelo simples prazer de ler.

Recomecei quando entrei na faculdade. Tinha muitas horas de transportes públicos pela frente, tanto de manhã como ao final do dia, por isso tinha que me entreter com qualquer coisa senão dava em louca. Não é uma razão muito nobre, mas foi o que me fez redescobrir o prazer há muito esquecido.
Foi nesta altura que li muitos clássicos da Literatura como A Ilíada, a Eneída, a trilogia do Senhor dos Anéis, muitas das obras de Eça de Queirós, que passou a ser o meu autor português preferido.

Chegamos assim aos dias de hoje, em que tenho fases: há fases em que leio avidamente, outras em que ler um livro custa e demora muito tempo.
Penso que seja de mim e não dos livros que escolho.

Curiosamente é raro fazer aqui "críticas" dos livros, que leio, talvez por achar sempre que é difícil falar sobre os enredos, uma vez que cada pessoa tem a sua perspectiva.
O que saltou à vista para uma pessoa ou o que a atraiu mais na história é completamente diferente do que aconteceu a outra.
Eu percebo que o se escreve por essa blogosfera fora são isso mesmo, apenas opiniões. No entanto eu continuo a achar extremamente difícil escrever sobre livros.

Prometo fazer o meu melhor e aqui vai a primeira:



Estava muito curiosa para ler este livro: primeiro porque é da autora do Harry Potter. Eu adoro o Harry Potter (os primeiros livros, acho nos últimos perdeu-se um pouco da magia)!
Segundo queria saber como é que ela se "safava" na literatura para adultos. Será que ia conseguir agarrar os leitores tal como o conseguiu fazer na saga do Harry Potter?

O livro assusta pelo volume.
Digam o que disserem, olha-se para ele e pensa-se: "Vais mesmo ter disponibilidade e paciência para leres isto agora?"
Sim foi isso que pensei.
Comecei o livro e torci logo o nariz... muitas personagens. Confundia os nomes, os parentescos e muitas vezes voltei atrás para tentar relembrar quem eram elas.
O acontecimento principal dá-se logo nas primeiras páginas e tudo o que acontece decorre dessa morte súbita.
Verdade que a história só começou a agarrar-me a meio do livro e ainda bem que não desisti antes, porque acabei por gostar muito.

Depois de nos envolvermos na vida da vila de Pagford e na das personagens começamos a sentir tudo como se fossemos nós próprios: o desespero da Kristen, as aparências da Shirley, o segredo de Maureen, o problema de Suhkvinder, a secreta paixão de Parminder, os desejos de Kay, a infelicidade de Samantha...

É uma história que poderia passar-se numa vila perto de si, muito terra a terra, como eu gosto.

Recomendado!


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Pestanas

Revelação