Cá estou!


Em jeito de balanço...
Criei este blog em Junho de 2008. Portanto quase 9 anos.
Antes deste tive um outro que não recordo quando nasceu.

Hoje em dia já é cliché o que vou dizer, mas na altura este mundo dos blogs era uma noz. Havia poucos blogs, as pessoas escreviam um pouco a medo, por não saber o que as esperava do outro lado, por ser um mundo novo, não se davam tanto como hoje em dia, em que chegamos a saber quantas vezes foram ao wc durante a noite.
Há coisas boas e más nisto da globalização dos blogues.

Embora fique contente e ache que é muito positivo para quem consegue viver, quem consegue sustentar-se através desta plataforma a fazer o que mais gosta, tenho saudades de ler posts divertidos, leves, sem qualquer intenção comercial.

A minha intenção nunca foi fazer deste blog um sustento. Gostava muito, mas não sou organizada nem disciplinada o suficiente para ser esse um objetivo e admiro quem o consegue.
Escrevo quando calha, não me "abro nada" e quando tenho "nuvens por cima da cabeça" não escrevo de todo, pois entendo que o blogue não servirá para trazer tristeza às 2 pessoas que me devem ler, lol.
Isto reflete a minha pessoa no que diz respeito à minha opinião acerca de desabafar.

Acho muito positivo fazê-lo, estou sempre a incentivar outras pessoas, mas quanto a mim... não o faço.
Simplesmente não consigo. Não, por não ter pessoas de confiança, fiéis depositárias dos meus segredos e daquilo que me atormenta, mas simplesmente porque já têm os próprios demónios com que lutar, não precisam dos meus para se juntarem à festa.
Porque quem se preocupa com o outro, "alanca" com mais esses "problemas", tornando-os seus...
Posto isto, entendo que não o devo fazer, guardando tudo para mim e consumindo-me até à alma por dentro, mas não demonstrando para fora.

Quem tiver ainda por aqui a ler o pouco que escrevo, pensará por esta altura, que irei dar a estocada final e acabar o blog.
Não, não vou.
Continuarei por aqui a escrever quando sentir essa necessidade e sem grandes tristezas. Porque tristezas não pagam dívidas e nós não viemos ao mundo para trabalhar, sofrer e pagar impostos.
Eu acredito nisto. A sério.

Tudo isto para dizer que tenho pena de ter escrito tão pouco no ano que passou: 48 posts. Uma tristeza... O meu ano mais fértil foi em 2011: 258. Foi a loucura!

O ano que passou teve acontecimentos muito positivos: fui passar uns dias a Sevilha com amigos, levei a minha mãe a andar de avião pela primeira vez e comprei a mota dos meus sonhos (também me "esbardalhei" dela abaixo, mas isso são outros "quinhentos"! E não conta! lol)
Isto são as coisas boas de que me lembro agora, mas claro que não foram as únicas! Os jantares com as amigas, os passeios, passar tempo com a família, as férias...

Tive alturas menos boas, com as tais "nuvens por cima da cabeça" que duraram muito mais do que pretendia. Ainda as tenho, mas acredito que vou conseguir dar a volta.

Aliás, eu acredito que este ano vai ser maravilhoso.
Vai mesmo!
Txim txim!



Comentários

Mensagens populares deste blogue

Pestanas